A Aliança de Deus



A Aliança Divina é o acordo feito por Deus com o homem (inicialmente somente com seu povo: povo de Israel), por causa do amor, consistindo no cumprimento da promessa do Senhor aos patriarcas (Gn 17.1-8;28.13-15), pelo qual era o Deus da nação, dando-lhe proteção e abençoando-a, ao passo que seu povo lhe devia obediência (Dt. 7.7-11).

Em cumprimento das profecias (Jr. 31.31-34), Deus fez uma nova grande aliança, quando por meio da morte de Cristo, o seu novo Povo (todos aqueles que aceitaram JESUS como seu único Senhor e Salvador) , receberam a redenção dos pecados, bênçãos eternas, após uma vida de dedicação e serviço a Ele.

O Pastor Airton Evangelista explica com maestria que:
Aliança significa pacto, acordo, ajuste, concerto. Teologicamente, diz respeito a concerto entre Deus e o seu povo. O Antigo Testamento é chamado Antiga Aliança, e o Novo Testamento, Nova Aliança. O nosso Deus é Deus de alianças. Através delas, Ele, pelo seu imenso amor, nos dá a garantia de muitas bênçãos, se houver fé e obediência. A iniciativa do concerto sempre foi de Deus, que estabelece as condições."

 De fato nosso maravilhoso Deus, todo Poderoso, fez várias alianças no passado: com Adão (aliança adâmica), quando ofereceu o paraíso que era o Jardim do Éden, dando-lhe fatura de alimento, predominância sobre os animais e benção celestiais; em contrapartida o homem não deveria comer do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal sob consequencia de experimentar a morte física, moral e espiritual (Gn 1.27-30; 2.16-17; 3.2-20).

Da mesma forma o Senhor fez aliança com Noé, com Abraão, com Isaque, com Jacó, com os Israelitas, e por fim nos firmou com a humanidade a maior e mais perfeita aliança  (Jeremias 31.31-33), firmada com o sangue puro  do Senhor Jesus que foi derramado voluntariamente no madeiro, através do qual nos "comprou" com um sacrifício expiatório perfeito que traçou aliança superior as anteriores.


Percebe-se através da inúmeras ofertas de alianças, a inestimável preocupação de Deus com sua criação amada; abriu portanto Jesus reconciliação entre a criatura e o Criador.

Referências bíblicas:


Mc 14:23-24:
"A seguir, tomou Jesus um cálice e, tendo dado graças, o deu aos seus discípulos; e todos beberam dele.
Então, lhes disse: Isto é o meu sangue, o sangue da {nova} aliança, derramado em favor de muitos."

 Mt 16:27-28:

"A seguir, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos;
porque isto é o meu sangue, o sangue da {nova} aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados"

Hb 6:13:

"Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente, quanto é ele também Mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas.
Porque, se aquela primeira aliança tivesse sido sem defeito, de maneira alguma estaria sendo buscado lugar para uma segunda.
E, de fato, repreendendo-os, diz: Eis aí vêm dias, diz o Senhor, e firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá,
não segundo a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os conduzir até fora da terra do Egito; pois eles não continuaram na minha aliança, e eu não atentei para eles, diz o Senhor.
Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor: na sua mente imprimirei as minhas leis, também sobre o seu coração as inscreverei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.
E não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até ao maior.
Pois, para com as suas iniqüidades, usarei de misericórdia e dos seus pecados jamais me lembrarei.
Quando ele diz Nova, torna antiquada a primeira. Ora, aquilo que se torna antiquado e envelhecido está prestes a desaparecer."

Assim sendo,  "Já não é mais necessário sacrifício de animais para reparar nossas culpas, como no antigo concerto. O sangue do "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" manifestou-se por um ato único, perfeito e eficaz; o sacrifício voluntário de Jesus Cristo abriu o caminho da reconciliação do pecador com Deus." (Pr. Airton E. da Costa)
 

Um comentário:

comentário(s)

Pesquisar este blog